Ortodontia

Home / Ortodontia

A ortodontia é uma especialidade da medicina dentária que trata a má oclusão, ou seja, problemas no alinhamento dos dentes e desarmonias dentofaciais.
Para a correção destes problemas, o ortodontista recorre frequentemente a aparelhos fixos, estéticos e/ou aparelhos removíveis.

FAQ

  • Ortopediatria facial – dos 2 aos 8 anos
    Quando a criança apresenta um desenvolvimento facial anómalo, normalmente identificado pelos pais, como o queixo muito para a frente ou muito para trás ou quando os pais identificam uma respiração oral. A ortopediatria facial deve ser feita por um ortodontista em colaboração com outras especialidades, nomeadamente a otorrinolaringologia, a terapia miofuncional e a odontopediatria.Estes tratamentos visam corrigir a causa do problema e direcionar o crescimento e desenvolvimento facial, promovendo uma mudança na estrutura da forma da face e dentes.
    A criança adquire melhor postura e melhor função a nível da cavidade oral e do corpo.
  • Ortodontia intercetiva ou preventiva – dos 6 aos 14 anos
    Quando é feito um diagnóstico atempado, diminui-se a probabilidade de ter que recorrer a terapêuticas mais interventivas.
  • Ortodontia intercetiva ou preventiva – a partir dos 12 anos
    Existem diversos tipos de patologias: apinhamento, diastemas, mordida aberta, mordida profunda e mordida cruzada. Dependendo da sua gravidade, são classificadas em classes, I, II ou lll.

A ortodontia interventiva ou corretiva atua ainda na desarmonia facial esquelética em casos de prognatismo, retrognatismo, progenia, retrogenia, sorriso gengival e assimetria facial.

  • Aparelhos fixos
    São os aparelhos ortodônticos mais utilizados.
    São constituídos por suportes com sulcos onde se inserem os arcos metálicos que deliberam forças para deslocar os dentes para melhores posições.
  • Aparelhos de expansão
    Trata-se de aparelhos usados para a alteração da forma da arcada dentária.
    Incluem-se nesta categoria os dispositivos de expansão removíveis que têm de permanecer na boca 24 horas por dia e também os dispositivos de expansão fixos.
  • Aparelhos funcionais
    São aparelhos removíveis ou fixos que podem ser usados para a correção dos problemas dos ossos maxilares. São usados quando o ortodontista pretende orientar, estimular ou inibir o desenvolvimento dos maxilares. Colocam-se em crianças muito jovens, sendo principalmente utilizados nos períodos da pré-puberdade ou na puberdade.
    Os dispositivos funcionais removíveis são, na sua maioria, usados durante o período da noite e durante algumas horas do dia.
    As vantagens dos dispositivos removíveis são a facilidade com que podem ser limpos e a possibilidade de poderem ser retirados durante as refeições. No entanto, nos pacientes em que se nota pouca ou nenhuma colaboração durante o tratamento, o fato destes aparelhos poderem ser retirados poderá constituir uma desvantagem, sendo por isso mais indicados os dispositivos fixos.
  • Aparelhos de contenção
    Depois de obtida a correção dento-maxilo-facial (fase ativa do tratamento) torna-se necessário manter o resultado alcançado (fase passiva do tratamento), já que durante determinado período de tempo haverá tendência a que os dentes se movam para as posições prévias (recidiva).
    A manutenção dos resultados, conhecida por fase de contenção, leva-se a efeito com dispositivos removíveis ou permanentes. A cooperação do paciente é crucial durante esta fase, para que se evite a recidiva, assegurando-se dessa forma a estabilidade dos resultados do tratamento ativo ao longo do tempo.
  • Melhor prognóstico para se evitar a extração de dentes permanentes;
  • Supervisão e orientação mais fácil dos problemas de natureza óssea, uma vez que o ortodontista pode controlar melhor o desenvolvimento esquelético antes do despontar da puberdade (ortopedia dentofacial);
  • Adaptação mais fácil dos pacientes jovens aos aparelhos;
  • Quando o tratamento é iniciado mais cedo termina antes da criança entrar na puberdade. Por essa razão, possuem mais autoestima do que os outros adolescentes, uma vez que melhoraram a sua estética facial.
  • Melhoria estética
    Os problemas ortodônticos têm, muitas vezes, consequências ao nível social e profissional, levando a situações de restrição/inibição do sorriso por vergonha. O tratamento ortodôntico adequado permite uma acentuada melhoria da aparência dentofacial, contribuindo para um elevado aumento da autoestima do paciente.
  • Melhoria da higiene oral
    Os dentes apinhados ou mal alinhados tornam a higiene oral uma tarefa bem mais difícil. Ao corrigir o mau posicionamento, o tratamento ortodôntico possibilita uma melhoria da higiene oral, prevenindo o aparecimento de cáries extensas e doenças nas gengivas que, nos casos mais graves, podem levar a perda de dentes.
  • Aumento da eficiência mastigatória
    O restabelecimento de uma relação correta entre os dentes superiores e inferiores traduz-se numa maior eficiência mastigatória, eliminando a dificuldade ou incapacidade de mastigar certos alimentos e permitindo uma nutrição mais adequada.
  • Melhoria da fonação e respiração
    O restabelecimento da oclusão evita e elimina problemas de respiração, o que se traduz numa melhoria da comunicação verbal, com consequências evidentes na atitude e bem-estar do paciente ao nível social.
  • Prevenção de danos na articulação temporomandibular
    Em alguns casos, o tratamento ortodôntico evita complicações na articulação temporomandibular (a articulação que permite a união da mandíbula com o crânio, mais concretamente com o osso temporal), que pode estar na origem de dor crónica na cabeça, face, pescoço ou ouvidos, bem como de tonturas, enjoos e limitações na abertura e fecho na boca.

É um moderno sistema utilizado atualmente na ortodontia.
Além da eficácia cientificamente comprovada do sistema a grande vantagem para o paciente é que o tratamento ortodôntico pode ser feito com redução de 50% do tempo médio dos tratamentos tradicionais. Além de uma redução de até 70% no número de visitas necessárias aos ortodontistas.

De acordo com informações da ORMCO:
Os brackets não são as únicas estrelas do tratamento. A associação deste sistema, com a mais moderna tecnologia de arcos como o Turbo, Copper Niti e TMA – Titânio Molibdênio, são a chave que permite que o tempo médio de tratamento seja tão reduzido. Ligas desenvolvidas pela NASA, que são utilizados em satélites e foguetes, além de muito mais confortáveis, permitem que sejam utilizadas por até 1 ano, se necessário.

Marque a sua consulta de ortodontia

Especialidade: